Tomboy – Um olhar infantil sobre a sexualidade

Tomboy

Tomboy é um  filme francês que ganhou o prêmio de melhor filme no Torino International e o Teddy Jury Award, no Berlin International Film Festival.

Conta a história de uma garota que usa trajes masculinos, e tem os cabelos bem curtos se parece com um menino, uma pré-adolescente de 10 anos. O título do filme TOMBOY significa “menina moleque”, ou seja uma menina que tem comportamento típico de menino, foge ao padrão do comportamento desejável para uma menina. A família é composta por quatro membros, pai, a mãe grávida, Laure e sua irmã mais nova, por causa do emprego do pai se mudaram para Paris, ele promete que ficará mais tempo desta vez, dando a impressão de que já se mudaram outras vezes.

Os pais parecem não se importar com a forma de Laure viver sua sexualidade, concordam com o corte do cabelo, suas roupas, a decoração do quarto “azul” .  É uma família comum,  a mãe é brincalhona com suas filhas, o relacionamento das irmãs é saudável, são carinhosas, compartilham brincadeiras do universo feminino como maquiagem e ballet, Laure parece não gostar muito, mas participa para agradar sua irmã caçula. Quando Laure sai para conhecer a vizinhança, encontra um grupo de meninos,  se apresenta  como sendo Mikael (um menino).

Houve um facilitador para que Laure se apresenta-se  como Mikael, foi o fato de estar numa cidade onde ninguém a conhecia, pode assumir outra identidade com tranquilidade, porém nem tudo foi tão simples assim, Laure precisava se comportar como os meninos do grupo,  cuspir no chão, jogar futebol sem camisa, usar o mato como banheiro, em alguns momentos se vê em situações complicadas, mesmo diante dessas complicações permanece no papel de menino “Mikael”.

Sua irmã menor foi parceira não contou para seus pais, em troca conseguia sair e se divertir com Laure, mesmo sendo uma criança, com condições de avaliar o que é certo e o que é errado, percebe que tem alguma coisa estranha nessa situação, fica confusa, mas permanece em silêncio por sentir que a gratificação compensaria seu silêncio.

A mãe que não se importava com o “jeito” de Laure, se mostrou irritada quando ficou sabendo que se apresentou como Mikael para seus novos amigos, surpreende que não é pelo fato da mentira, mas por perceber que Laure poderia sofrer as consequências desta mentira na escola, e magoar outras pessoas inclusive Lisa (amiga) que passou a gostar de Mikael/Laure.

O filme traz uma reflexão sobre a forma de viver a sexualidade, algo que foge a compreensão de muitos, sobre o fato de nascer num corpo ao qual sente que não pertence, o filme apresenta o tema de forma suave, trata a criança dentro de seu mundo infantil, dentro da sua forma de pensar inocente. Foi retratado o universo infantil/pré adolescência  e suas dúvidas, não é tendencioso, não fará ninguém mudar de opinião, mas é esclarecedor. O que me encantou no filme foi que o assunto é polêmico, mas o filme não faz polêmica, mostra uma menina se descobrindo como seria viver como um menino.

Abaixo algumas definições para melhor compreensão:

Definição de  sexo, além de se referir ao prazer, é também usado para distinguir homem de mulher, quem é do sexo feminino a partir da puberdade começa a amadurecer os óvulos e pode engravidar, quem é do sexo masculino, a partir da puberdade pode produzir espermatozóides.    

Definição de  gênero; se relaciona com a identidade de cada um, é uma categoria que recebemos ao nascer, se relaciona ao conjunto de papéis que se espera dos dois sexos, isso varia de cultura para cultura, de pessoa para pessoa, cada um viverá seu gênero à sua maneira.  A identidade de gênero refere-se à consciência de um indivíduo de ser homem ou mulher.

Definição de transexual: É um indivíduo que tem uma identidade de gênero oposta da designada no nascimento, exemplo a pessoa tem corpo do sexo masculino, foi criada como homem mas se sente genuinamente uma mulher, e vice-versa. Causa sofrimento psicológico significativo e prejuízos no funcionamento social, e em outras áreas importantes. Nesse caso pode se utilizar de cirurgia e tratamento hormonal para adequar o corpo da pessoa ao gênero com o qual ela se identifica na essência.

Gosto de resenhas escrita a várias mãos, fique a vontade deixe sua opinião !!!

Quer saber mais? O papel do psicólogo no processo transexualizador

3 Comments

  1. Excelente seu post, Rosana.
    Eu gostei muito desse filme.
    E acho importante olharmos os outros com olhos menos preconceituosos. E tentarmos aceitar cada pessoa, em sua forma de ser e com suas escolhas pessoais.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s