Herança Emocional

A emoção está presente em nossas vidas desde o nascimento. A reação dos primeiros minutos de vida vem anunciado pelo choro incessante do bebê, a partir deste momento ele se utiliza do choro para anunciar todo o desconforto que surge, anuncia também suas necessidades de higiene, fome e sono, e da mesma forma que eles transmitem emoções, também reagem as emoções dos outros. Os pais são seus primeiros contatos e se a mãe está feliz o bebê se sente tranquilo para experimentar um novo brinquedo ou se aproximar de pessoas novas, se a mãe parece negativa ele evita o que parece ser uma experiência perigosa. (Davidoff, p371)

E assim seguem as nossas emoções, num aprendizado constante com tudo e todos que estão ao nosso redor.

pais_filhos

Refletir sobre a influência de nossa emoção nas pessoas que estão próximas é importante, porque nos deparamos com situações que nos remetem a emoções que fogem ao nosso controle e passamos a ver as coisas de uma forma diferente com uma nova perspectiva, e essa nova forma de ver as coisas pode ser boa ou ruim, dependendo da situação a qual vivenciamos.

Essas experiências são compartilhadas emocionalmente com aqueles que foram vítimas e também por aqueles que estão próximos, mas que não estavam presentes naquele momento, como por exemplo um filho que sofre uma violência os pais e familiares compartilham sentimentos similares e significativos, mesmo não presenciando.

A compreensão pode ficar mais fácil quando nos remetemos a um parente que adoeceu e que precisa de cuidados médicos constantes. Esse acontecimento não é individual, não abrange apenas a dimensão corporal, mas também as relações familiares e sociais. Essa vivência gera sofrimentos, perturbações e silenciamentos, esse silêncio por vezes serve para que a família possa ter uma certa situação de normalidade e enfrentamento.

Pessoas com experiências traumáticas, podem guardar sentimentos de angústia, vazio ou outros, dependendo da situação a qual eles foram expostos que podem acompanhar por muitas gerações, causando sofrimento e um impacto significativo em sua vida profissional, social e familiar.

Em algum momento de suas vidas quando se posicionam como pais educadores, de certa forma esses sentimentos podem refletir na educação fornecida aos seus filhos.

Este vídeo abaixo foi elaborado pensando nesses sentimentos e o impacto que eles podem causar na educação dos nossos filhos pré adolescentes e adolescentes. Seria possível nós pais separarmos esses sentimentos, e deixar que nossos futuros adultos se apropriem dos seus próprios sentimentos? Abaixo, uma pequena reflexão sobre esse tema.

 

Referência:

. Um estudo nas representações Sociais, Revista enfermaria, UERJ, Rio de Janiero, 2012.

. Davidoff, LL , Emoção e Ajustamento, Mkkron Books

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s